quinta-feira, 21 de julho de 2011

É Real

A maior virtude de uma pessoa está em admitir, reconhecer seus defeitos. A maior dificuldade é conhecer as limitações e o maior dos desafios é viver empurrando essa barreira sempre que a encontrar. Sim, as limitações não existem para serem superadas como num salto em corrida de obstáculos. Precisamos sempre movê-las para que, mesmo com elas à frente - e elas sempre estarão por lá- sigamos caminhando.

Nesse conjunto de defeitos, virtudes, obstáculos e desafios, diante da Era do Politicamente Correto, ficamos aparentemente mais cautelosos, cheios de receio e medo de causar algum mal ou suscitar chiliques em alguém.

Há, também, mesmo que poucos admitam, uma boa dose de naturalidade no preconceito. Ter preconceito é, sim, natural e todos temos. Ter preconceito não é nocivo, é característica básica diante do desconhecido. Nocivo é se guiar pelo preconceito, é distorcer a visão ao generalizar e, assim, prejudicar o processo valioso de conhecer, de explorar, de confirmar ou negar o que o preconceito gerou. Ruim não é achar que a loira é burra, é não deixar que ela se mostre diferente, é tapar os ouvidos e olhos para as burradas de uma morena porque o "posto" não pertence a esta e sim àquela.

Preconceito não é menosprezar alguém pela sua cidade de origem,é não permitir que esse alguém seja ele mesmo, seja de onde for, venha de onde vier. Não convém, portanto, confundir preconceito com estereótipo, o que é bem comum e prejudicial. Quem não tem, em sua lista de amigos, alguém com quem, no primeiro contato, não foi com a cara? Da mesma forma, com alguns, o "santo bate de cara" e dá em nada, não é? É assim que somos, errando, acertando, mas sempre tentando, buscando evolução que melhoramos.

Isso tudo só confirma a mudança dos tempos que a internet nos trouxe. Em vez de separar "real" de "virtual", estamos ampliando as possibilidades de trocar ideias, energia e sentimento. Aqui na internet, alguns se tornam menos tímidos, introvertidos ou se expõem demasiadamente. Cada um na sua medida, todos são pessoas, com seus valores e princípios, enganando ou não, com o tempo, todos se revelam. Aqui também estamos sujeitos aos efeitos do tempo... se conseguir esperar, se não sumirem ainda fantasiados, um dia, as máscaras caem.

Matei meu preconceito com relação à internet: não distingo mais real de virtual; não desrespeito mais ou menos as minhas intuições, apenas as deixo fluir; não distingo mais sotaques ou vícios de linguagem regional; tornei-me mais tolerante aos erros de grafia, pois eu não os conheceria se ainda apenas ouvisse os que erram, mas agora os leio. Ainda tenho outros preconceitos e, com eles, convivo bem, sem destratar, sem impedir que as pessoas se mostrem como as imaginei ou não.

Ofereci gentileza e fui mal interpretado, ofereci apoio e fui recompensado, busquei isolamento e fui reencontrado, despertei lembranças e nem fui notado. A vida é assim na praça, no bar da esquina, no grupo de oração ou na arquibancada.

Aprendi, desaprendi, vi, revi, esqueci, conheci, relembrei, descobri, acertei, errei ... vivi.


quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Desfeita Frase Feita

"Diz-me com quem andas e te direi quem és."

Diga isso a um bajulador insistente que corteja, por exemplo, quem está no Poder, independente de quem seja, e ele lhe dirá:

"Só não muda de ideia quem não as tem".

Alguns passos depois, peite um brutamontes e esbraveje assim:

"Tamanho não é documento!"

Depois de uma balançada na mente, em seguida ao sopapo recebido, você poderá dizer algo como:

"Cabeça vazia é oficina do diabo" e vá à igreja.

Lá chegando, nem pense em mencionar "casa de ferreiro, espeto de pau", pois talvez seja expulso.

Ao sair, expulso ou não, provavelmente pense que "mais vale um pássaro na mão do que dois voando", mas não tente pegar algum pombo da praça, pois poderá até adoecer. Deixe-os em paz.

Vá para sua casa, pensando que "dinheiro não compra felicidade", que "beleza não põe mesa" e agradeça se não encontrar uma pessoa feia, infeliz e uma geladeira vazia.

Ligue a TV e boa sorte, pois lá te dirão que "o mundo é dos espertos" e te deixarão fora dele. Entretanto, você terá seu próprio mundo, onde "nos menores frascos estão as melhores fragrâncias", mas de nada importará se você é alérgico a perfume.

Melhor desligar a TV, afinal "o mundo dá muitas voltas" - isso é fato - e muita coisa continuará na mesma se você não se mexer. Considere que "uma imagem vale mais que mil palavras" e não se espante ao constatar que seu vocabulário nem chega à metade disso.

Assim como "gato escaldado tem medo de água fria", seu mirrado cérebro tem medo de pensar? Não se preocupe, há frases prontas para tudo o que imaginar... se é que ainda pode imaginar algo.

Lembre-se que é sádico se achar que "pimenta nos olhos dos outros é refresco" e masoquista se crê no "aqui se faz, aqui se paga". Aliás, você é sadomasoquista, sempre.

Diante de tudo isso, seu grande teste será contrapor "você colhe o que planta" e, pasme, "quem planta vento colhe tempestade". Porra, por que o vento é mais rentável? E aí, o que vai plantar?


sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Pelo Menos Isso


Uma migalha de bom humor no 'atestado' - coisa de abestado.

Por muitos anos, a expressão "abestado" era coisa local, dita tantas vezes, a todo momento. Agora ganhou outros ares. Parece que foi a TV que fez isso: de amore mio a va bene; de inshalá a are baba ... assim caminham os abestados, em meio às fuleragens, raparigagens e baitolagens.

Dois personagens, milhões de votos, embates judiciais, dois diplomas, duas lembranças - Berna e Itapipoca. Dois palhaços?! Não, muito mais que isso : um pode, mas o outro... "se robá vai morrrrêêêê!"

Pra frente é que se anda, mesmo botando boneco.






Nunca Antes Na...

... época de fim de ano houve vagas temporárias!




Esse povo grupo tem jeito? Mesmo assim, deve fazer bem a muita gente ler - somente a manchete "azul", claro - e já ter como retrucar.

Brizola, um dia, falando em engolir sapos, se submeteu a deglutir anuro barbudo em que, complemento eu, faltavam dedo e diploma, mas nem todos aprenderam com Leonel... nem todos.

Engolem Zagallo, mas não tem garganta para para suportar certos sabores que desagradam a "massa cheirosa".





segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Que Dúvida!!


Aspas simples? Com a letra E? Que dúvida!

Nesta mesma semana, ouvi reclamação de uma família sobre a nova fala do menino da casa para encerrar discussões: tudo que se atribui a ele tem sido respondido com um "quem chama é que é". A mãe chamou de bagunceiro, o pai chamou de mal educado e, aos dois, ele mandou o "quem chama é que é".

Por lá, ninguém sabe de onde o garoto tirou isso. Ele teria aprendido na escola? Ouviu de alguém em casa? O garoto passa boa parte do dia vendo Cartoon e afins.

Enfim, parece que alguém já sabe ... estariam os jogadores vendo desenho na concentração?

Ainda bem que o tal menino não sabe nem quem seria árbitro do tal jogo!





sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A Manchete

Não sei se surgiu no vôlei. Não sei o "levantar a bola" foi pinçado pelo jornalismo. Também não vou pesquisar no Google, pois basta entender que manchete é isso: um recurso para levantar algo que, por certo, vai cair.

Tudo isso para perguntar se precisava disso:



Nem com plano de saúde o sujeito consegue uma tomografia imediata, consegue? E um perito, dá pra conseguir? Que tal imagens e narração dramáticas? Porra, IBGE, precisava me lembrar isso de novo?

Até Logo










Depois de esgotar esforços, de anos a fio de estudo e com aguçada percepção, o cientista político prevê: "a resposta está com ele". Oh, eureka!

O narrador do vídeo também se supera ao apresentar um "tarólogo barra numerólogo". E é o Tiririca que não sabe ler.

Destaca-se a astróloga que anuncia que Serra vai, finalmente, concluir mandato de Prefeito de São Paulo. Ela garante que Zé vai se eleger em 2012 e ficar mais dois anos na Prefeitura (2+2=4= 1 mandato, né?), saindo em 2014 para disputar vaga no Senado.

A previsão da astróloga vai de encontro ao sorriso largo da analista de borra de café que, talvez inebriada pelo cheiro, assegura a terceira candidatura "do bem" ao Planalto na próxima eleição. A corroborar, o babalorixá vai além e outorga a Marina a candidatura de vice na chapa (que rápida escolha do tucanato!).

Bom, esse é o até logo, pois o momento pede "deixa a mulher trabalhar".



Ocorreu um erro neste gadget